terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

1 ano da Kukinha - A FESTA...

Minha filhota fez um aninhoSmiley . Eu e o pai dela, decidimos, contra a maré deSmiley (carinhas de espanto), que não íamos fazer nenhuma FESTA... quando falo de festa falo daquelas festas com X formalidades: convites XPTO(muitos por obrigação), cascatas de chocolate (de camarão de preferência para o pessoal mais velho), bebidas para um batalhão de pessoas, cenários, etc, etc. NÃO! Ela teve direito ao seu bolinho, velinhas e champanhe (de fruta para os pequenitos...somos desnaturados mas não exageremos). Os convites foram feitos ao telefone, à medida que nos ligavam a felicitar....e a resposta estava na ponta da língua..."não...não vamos fazer festa" blá....blá...blá...e portanto se quiserem aparecer há bolo e champanhe"...e respondiam "blá..blá...blá e porque não? É um ano....blá, blá Wiskas saquetas....
Razões apontadas para fazer a festa (defendidas com unhas, garras e dentes pela maioria das pessoas):


  • É 1 ano, só acontece uma vez (ué....e depois?!?! próximo ano serão 2!!!!e também só acontece uma vez"Já estou a caminho de 34 e até agora não repeti nenhum ano!!!

  • Temos de comemorar (comemoramos todos os dias por esta dávida....ok..há uns dias que esquecemos...mas quando nos lembramos....epa....comemoramos....)

  • É obrigatório fazer festa (uiiiii azar.....comigo isto de obrigatório tem muito que se lhe diga)

Razões para NÃO fazer a FESTA (ponto de vista dos papás!!!) Smiley

  • FESTA é quando a gente quer e não quando os OUTROS querem; (somos assim..cheios de mania...)
  • A Kukinha ainda é pequenita, não sabe o que é festa e o mais provável era ficar irritadiça que nem as outras criancinhas que são massacradas com estas festas;
  • A mãe da Kukinha iria Smileye nem ela nem o pai gostam que a mãe fique stressada...;
A verdade é que sinto que temos de quebrar com algumas coisas que as pessoas dão como adquiridas...ou obrigatórias. Não quero que a minha filha cresça sentindo que aniversário é sinónimo de FESTA de arromba e com esbanjamentos; Não quero que ela cresça convencida que aniversário é sinónimo de muitas prendas e todas caras (sim porque as pessoas pensam que nós ligamos a isso…e entram em parafuso à procura DA prenda..AQUELA...). Eu expliquei às pessoas que neste dia especial queria que a minha Kukinha estivesse rodeada de pessoas que gostam dela; queria que estivessem ali para partilhar o momento connosco, independentemente de ter festa ou não. Não queria que as pessoas se preocupassem com presentes, porque eu acho que, nos momentos de alegria (caso optem por oferecer) deviam-se oferecer cartões, pequenos miminhos. Que guardem o dinheiro para aqueles momentos mais difíceis em que aumenta a probabilidade das pessoas estarem realmente a precisar de algo mais.
Eu só sei que no final do dia foi bom abraçar a minha pequenita, meus pais e meu marido Smileye agradecer a Deus por mais um dia, cheio de vida, saúde e partilhado com muito amor....e isso meus amigos....não há dinheiro que compre, nem festa que se compare.SmileySmiley

Sem comentários: