sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Hoje acordei


Com vontade de abraçar a minha avó, de lhe dizer que a amo muito.

Acordei com vontade de a estreitar nos braços e retirar todo o mal que a vida lhe tem feito, sarar as feridas que foi ganhando ao longo do caminho, enxugar as lágrimas que as perdas lhe provocaram e plantar de novo aquele riso forte nos seus lábios.

Acordei com vontade de a deixar saber que a amo muito e que a minha atitude idiota de afastamento não tem a ver com o falta de amor mas pela minha incapacidade de aceitar que aquela mulher forte, aquela mulher coragem que conheci já não restam traços.

Acordei com vontade disso tudo porque ontem ao dormir veio à minha mente imagens da minha infância onde tu, avó, estiveste presente. Imagens minhas e outras de papel...imagens onde me acompanhaste nos primeiros passos, imagens do teu imenso carinho e a sensação de ser a favorita de alguém. Cresci, mas não te esqueci...afastei-me um pouco sim...mas por te amar...estranha forma de o demonstrar eu sei...mas às vezes sou assim...meio torta.

E como dizia...


Acordei com vontade de falar contigo, de te ouvir e de te sentir...e liguei-te. Disse-te que amava-te muito e mandei-te beijinhos mil...e senti-te mais perto, senti-te mais presente. Liguei e do outro lado da linha ouvi a tua voz trêmula, e num fio... palavras soltas. Mas não importa...queria apenas que tu soubesses que a tua neta não te esqueceu e que te ama muito. Ao desligar meu coraçãozinho podia caber nas mãos da minha filha, porque senti, mais uma vez, o teu abandono para com a vida...e disseste-me tchau...

5 comentários:

Lua disse...

Fizeste-me chorar...Parecia que estava a ler uma capitulo da minha vida...Gostei mt do teu post...

Anónimo disse...

sabes, já te tinha dito que não deixo de visitar o teu blogue todos os dias, mesmo sabendo que nem sempre escreves; simplesmente porque nos dias em que o fazes tens a capacidade de me fazer rir, questionar, interessar-me por um tema, ficar indignada, ou melhor ainda de me emocionar desta forma maravilhosa...que post tão belo!
obrigada
abraço
Vânia

Anónimo disse...

ah, esqueci-me de perguntar porquê a frase do dia é a mesma há já algum tempo algum motivo especial?hehehehehhehehehehe

vânia

MS-Mnininha Soncente disse...

é...a vida e outras coisas não me deixam estar 100% presente por aqui. Mas sempre que algo me tire do "normal" faço questão de escrever para mais tarde recordar. Obrigada pelos comentáros Vania e Lua. Sobre a citação...well...o meu fornecedor que entrou em greve, espero que passe rapidamente.Foi mera (e feliz) coincidênica ter esta frase durante algum tempo...dá que pensar não é? ;-)

vl disse...

Não és meio torta. É mesmo dificil aceitar que os nossos entes queridos, sejam eles avós ou pais, pessoas responsaveis pela nossa existencia, pessoas que nós durante anos consideramos inquebraveis, são afinal simplesmente humanos e por isso mortais e sujeitos a sofrerem os males da vida(fisicamente e psicologicamente).
Sempre tive uma relação horrivel com meu pai, mas chegou um momento que decidi deixar tudo no passado e aproximei-me dele.

E hoje ve-lo a "deteriorar-se" devido a uma doença que não tem compaixão, corrói-me por dentro, mata-me um pouquinho, mas não deixo de todos os dias ligar e falar com ele, mesmo que ele me trata por uma prima a muito falecida.

Obrigada por partilhares o que sentes pela vó.

Beijinhos