quinta-feira, 19 de março de 2009

Remédio PAI

Sendo hoje o dia do pai...aqui vai mais um post dedicado a este dia:

PAI – UM SANTO REMÉDIO
APRESENTAÇÃO – PAI vem em embalagens de diversos tamanhos e pesos.
USO – Adulto e pediátrico
COMPOSIÇÃO
Cada 100 gr. De PAI possui em média:
*10gr. De carinho,
*10gr. De compreensão,
*10 gr. De sinceridade,
*10gr. De paciência,
*0,0003gr. De broncas e
*50 gr. De muito amor com firmeza...
PRAZO DE VALIDADE – PAI tem prazo de validade indeterminado.
INDICAÇÕES – Recomenda-se o uso de PAI caso sejam verificados sintomas como: mau humor, brigas com o(a) namorado(a) . Decisões importantes, dúvidas cruéis, falta de grana, carência afetiva, falta de carro, baixo astral.
CONTRA INDICAÇÕES – PAI não deve ser administrado em caso de notas baixas.
PRECAUÇÕES: Este produto pode causar dependência. Cuidados na interrupção no tratamento (principalmente nas férias). O uso prolongado de PAI, às vezes parece prejudicial, pode interromper bruscamente o tratamento, inclusive por motivo de viagem. Os primeiros dias de ausência do PAI, parecem maravilhosos mas crises agudas são freqüentemente detectadas.Volte logo ao uso.
POSOLOGIA:
CRIANÇAS E ADOLESCENTES – use e abuse de PAI, quanto mais usar, melhor.
ADULTOS – “Não fique acanhado”, não é vergonha nenhuma usar o PAI depois de crescido. E lembre-se ”PAI é como pijama. Quanto mais velhinho, mais macio fica.”
ESTE MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO AO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Siga corretamente o modo de usar.Se não desaparecerem os sintomas, procure orientação de MÃE.
(Autor desconhecido)

quarta-feira, 18 de março de 2009

Paternidade...em CV

É fácil ser pai em Cabo-verde...isso assumindo que ser pai é depositar o espermatozóide vencedor no óvulo que se deixou apanhar (consciente ou não).
Quando ouço falar em paternidade responsável só me apetece dar o meu sorriso nº 33.
Como é que os governantes enchem a boca para falar nisso quando na prática temos leis que não vão de encontro a essa preocupação e nem instituições preparadas para tal (sem falar nos machos cuja mentalidade é do tempo dos dinossauros e agem como animais!). Senão vejamos:
1 - A lei do trabalho foi revista há pouco tempo pelo que é “actual”. Para as mães ficou mais favorável, de 45 dias elas passaram a ter 60 dias de licença de maternidade…muito bem…podia ser mais incluindo a opção de esticar a licença e receber menos (a exemplo de Portugal). Assim a lei ficaria melhor sintonizada com a política de aleitamento materno exclusivo até os 6 meses. (Poderiam dizer que os 45 minutos por período chegam…mas acreditem não chegam, principalmente nos 4 primeiros meses.)
Mas, como dizia, para as mães a lei ficou mais favorável mas para os pais…bem…os “pobres” têm direito a 2 dias…mas estes dois dias são considerados faltas (justificáveis eu sei…mas não deixam de ser FALTAS!!). Eles têm menos dias que para as situações de casamento e morte!!
Porquê aumentar estes dias?!? Na minha “modesta” opinião o pai tem o direito de desfrutar e partilhar o momento do nascimento dos filhos com as mães. Mas mais do que isso… os primeiros dias são tão intensos/confusos para ela que precisa se sentir apoiada...quem melhor que o pai? Ouço queixas das mães sobre o pai que não se levanta para ajudar…mas como (?) se no dia seguinte ele vai trabalhar e ela fica em casa? Como se passados os 2 meses, eles já acham que a mãe já se dá conta tão bem que nem se lembram de oferecer ajuda?…afinal agora os dois vão trabalhar (não me venham com a desculpa que pai não tem mama…tem dois braços para trocar a fralda, fazer arrotar…e fazer companhia!!!).
2 – Quando digo que as instituições não estão preparadas refiro-me tanto a nível de infra-estruturas como a nível do pessoal. Em termos de infra-estruturas, os hospitais não estão preparados para o pai que queira assistir o nascimento, e nem para acompanhar a mãe às consultas! Quando falo do pessoal…bem…os olhares que deitavam ao meu marido sempre que ele me acompanhava faziam-no sentir um verdadeiro ET.

É claro que melhorando a lei e criando condições nas instituições para um melhor acompanhamento dos pais não chega para se ter uma paternidade mais responsável…mas ajuda e dá motivação para aqueles que querem vivenciar todas as etapas da geração de um filho. Quanto àqueles machos que só espalham a semente e não querem saber da colheita…um dia cairão em extinção se todos os pais (principalmente as mães) derem uma pequena ajuda: não educarem os filhos de forma machista!!!

terça-feira, 10 de março de 2009

Oh....Para todos ...


...aqueles que me venham com aquela conversinha de que só quando se é mãe é que uma mulher se sente realizada. Já me sentia realizada quando ainda era bebé!!!
PS:já agora ... isto é extensível àqueles que, não exteriorizem mas pensam assim...

segunda-feira, 2 de março de 2009

30 minutos!!!


Não sei se algum dia receberam um e-mail cheio de novidades científicas que não servem de grande coisa...uma das "novidades" é que se poderia aquecer uma chávena de café se gritássemos por mais de meia hora (se não me falha a memória)...o que isto tem a ver com o post de hoje?? Simples....descobri que tenho essa potencialidade aqui em casa...a minha filha!!