quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Fim da viagem

A viagem foi looonga e dolorosa. Começou na madrugada de sexta-feira dia 23 de Janeiro e só terminou no sábado, dia 24 às 14:25 minutos com o nascimento da minha Kukinha. A dor? Que dor? Aquilo é dor? Não, não pode ser…o que senti ultrapassa todos os meus conhecimentos que eu tinha de dor. Naquele dia, naquelas salas perdi a vergonha, perdi a educação e até perdi o meu sentido de humor. O que senti ultrapassou todas as minhas piores expectativas, os meus piores medos e pesadelos…vá lá que ainda tive o discernimento de não dizer “nunca mais” ou poderia correr o risco de encontrar daqui a uns tempos as pessoas que me viram naquela situação deplorável e ter de lidar com aquele sorriso no canto da boca tipo: “Com que então nunca mais! “Não…não disse…engoli essa frase mas vociferei outras barbaridades para ver se diminuía as dores que me esfacelavam por completo. Eram dores das contracções, dores do “toque” da médica (leia-se o enfiar a mão pelo canal acima). E como não bastassem as dores “naturais” e quando as coisas iam sucedendo “normalmente” eis que algo resolveu atrapalhar as coisas e tiveram de terminar o trabalho de forma artificial e lá tive que levar com a mão da minha médica outras vezes…para alargar o canal, para arrebentar a bolsa de água…e depois levar a famosa “malaguetinha” para no final ser rasgada e cozida…ao som da banda sonora de “mamma mia” (o meu sentido de humor era inversamente proporcional ao sentido de humor da minha médica…). Levei 15 dias a parir porque depois vieram as dores dos pontos e das mamas gretadas…mas também levei com a ternura de ver aquela coisinha que saiu de dentro de mim…e finalmente soube o que quer dizer a famosa frase de “padecer no paraíso”. Mas confesso que fiquei com trauma da mãozinha cheia de dedos da minha médica…
Agora são as poucas horas de sono, os horários mais estapafúrdios e uma produção de leite que já me fez pensar em abrir uma leitaria. E pronto…se me dão licença minha nova chefe me chama…ela é implacável quando se trata das suas refeições…

2 comentários:

MM disse...

Pois é! Aquelas coisinhas são implacáveis, olham para nós como o seu frigorífico e higiene 24x24/7x7mas são irresistíveis. Fica o consolo: vai melhorar daqui a uns anos... quantos? Sei lá, uns 25 no mínimo.
FELICIDADES

MS-Mnininha Soncente disse...

É..sinto-me uma autêntica "Estação de Serviço"!!!