quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Me, my teimosia and the OE 2009

Preciso de deixar de ser teimosa…
Desta vez a minha teimosia consistiu em ouvir mais uma discussão, na Assembleia Nacional, do Orçamento de Estado para 2009.
Para se manter o "bom costume", os estimados deputados tornaram os discursos pessoais, mostram apenas um lado das questões e teimam, em não dar a mão à palmatória quando se demonstre por A+B que tal situação é o mais favorável ao país. Venceu o bate-boca e as acusações. Perdeu o País, e eu perdi meu tempo.
Mas esta minha teimosia tem uma desculpa…a eterna esperança de um dia, ouvir um debate sério, um debate esclarecedor sobre um documento que orienta o meu país. É a eterna esperança que saia da AN um documento cuja oposição não vote contra só porque tem de votar contra, porque acha que o papel da oposição é esse…ser do contra. (tanto vale para o PAICV como para o MPD...mudam-se as moscas mas a merda é a mesma!!!)
Sobre as questões que nortearam as discussões, não me espantou as propostas, no mínimo bizarras, de cada partido que em nada tem a ver com a tal linha ideológica que às vezes fazem de sua bandeira. Afinal a incongruência é o que mais se ouve nas sessões parlamentares e como muita gente sabe, em Cabo-verde a ideologia política não existe…é mera ficção.
Decidi que desta vez ia mais longe...decidi ouvir as declarações de voto (porque geralmente desligo a rádio cansada com a troca de elogios entre os grupos) e fiquei na dúvida sobre a declaração da UCID…Absteu-se!!! O meu espanto reside na justificação: porque, segundo a UCID, o OE é um Orçamento efectuado num tempo de crise e para fazer face a essa crise, que é um orçamento que desbloqueia investimentos importantes para SV, que vai dotar esta ilha de mais recursos hospitalares…e mais um número de aspectos positivos. Quando eu estava a espera que ele apontasse os negativos…dá por encerrado a sua declaração de voto. A minha pergunta foi…eu perdi alguma parte do discurso em que ele apontava as razões com que não concordava com o Orçamento? Se não…porque não votou a favor?!?!?!?!?
Por essas e outras que digo que não percebo nada de política...as minhas opiniões são baseadas em simples exercícios de encontrar alguma lógica no que os políticos fazem e dizem...

PS1: Gostei da intervenção da Min. Finanças (que ao que parece agrega simpatia de muitos quadrantes). Uma intervenção clara, objectiva e mesmo quando respondia a provocações...fê-lo com classe...!!!!

PS2: Raios que não me acostumo com a dificuldade do PM em pronunciar o "i"!!!

PS3: Deviam dar aulas de português aos deputados...coisinhas simples...e explicar, pelo menos, que há uma regra ...a concordância (em muitos casos é desculpável...mas noutros...valha-me Deus que eu assisto a uma verdadeira chacina à lingua portuguesa)


3 comentários:

MM disse...

No comments. Ainda estou em choque.

Bruno disse...

Falou e disse!!!

VL disse...

COncordo em genero, numero e grau com o que a MS disse.
É essas e por outras que desde Fevereiro não me dou ao trabalho de ouvir as sessões "paralamentares" (se meu chefe descobre é capaz de me esfolar viva), mas em se tratando da sessão para aprovação da OE que vai ditar se continuo ou não a queimar os meus neurónios em 2009 para fazer de CV um pais melhor, decidi ouvir.
Resumindo: as UNICAS intervenções que me deixaram orgulhosa faram as da Min das Finanças. Quase entrei pelo "radinho" a dentro para esganar meu Chefe quando ele começou a falar, por causa das GRANDES besteiras e contradições lhe sairam pela boca fora e mais fula fiquei ao verificar que os nossos "ILUSTRES REPRESENTATES DO POVO" não se deram conta das besteiras. Isso só demonstra que tanto os Ministros (pelo menos alguns) e os nossos DE"PUTA"DOS não conhecem as leis que os proprios apravam....

Acho que vou continuar a mudar de estação de rádio nas ultimas semanas de cada mês. Desta forma poupo os meus ouvidos de determinadas barbaridades.