quarta-feira, 11 de junho de 2008

Gravidez na adolescência (causas?)

As causas da gravidez precoce têm sido dissecadas faz muuuuuito tempo. No “meu tempo” (já pareço uma velha a falar) dizia-se que era, essencialmente, falta de informação. Reconheço que desde daí informação é coisa que não tem faltado. É vê-la aí nas novelas (vistas por todas as camadas sociais), nas séries juvenis, rádio, escolas, na net, etc. Mas continua-se com uma taxa considerada elevada, porquê? Ráaaaa quem nunca foi jovem e irresponsável que levante a mão!!!!
Porque na “aborrescência” somos donos da verdade e sempre achamos que coisas destas só acontecem aos outros!!!! (apesar que mesmo quando adultos muitos continuam com este pensamento).
Porque na “aborrescência” o que queremos é experimentar, correr riscos.
Porque, apesar de termos PMI espalhados e centros de saúde preparados para receberem os jovens e dota-los de meios de prevenção, são as pessoas que lá trabalham as primeiras a “denunciarem” aos pais que os filhos frequentam o centro… e estes ao invés de se aproximarem dos filhos e tentarem “escuta-los” a maior parte recrimina. Eu mesma fui exemplo disso, na época confrontei minha mãe e perguntei-lhe o que era melhor uma gravidez ou dizerem que a filha foi vista no PMI, a resposta foi um excelente tabefe! E olhem que eu fui mesmo só por desafio porque já sabia que minha mãe ia ser informada (coisas de adolescente birrenta).
E por tantas outras causas apontadas pelo Paulino.
Actualmente, como disse no post anterior as baterias tem de ser direccionadas para o adolescente. Já há um trabalho de fora para dentro (disponibilização de informação e meios de a obter) agora que se faça um trabalho ao contrário que é partir dos jovens para o seu meio.

2 comentários:

MM disse...

Há pouco tempo um amigo meu, considerou a própria filha de dezoito anos, que tem um namorado estável há um ano, uma vadia e uma p#*€ porque usa a pilula! Convicção que é partilhada pelo resto da família cuja preocupação maior são os vizinhos. Chamei-o de tudo (confesso) por causa disto... de burro, a irresponsável e apontei o facto dele ser pai de 4 filhos de mulheres diferentes com quem nunca construiu uma vida como a verdadeira irresponsabilidade (deixou de me falar...). Irritei-me a sério mas sei que não é caso único. Há muitos pais que acham normal a filha(o) aparecer grávida(o) mas acham anormal os meios anti-concepcionais.
Isto para dizer que na adolescência o papel dos pais (mães) é fundamental para uma sexualidade responsável. Não é possível continuar a ter a gravidez como fatalidade, como consequência lógica do sexo. Talvez no tempo dos nossos avós, mas agora...
Tenho pesadelos com o filhote que já está a entrar na puberdade e tento transmitir-lhe que o sexo é normal, desejável mas que terá de ter responsabilidae e proteger-se de "gravidezes" precoces e doenças.
Lembro-me dos discursos da minha mãe a partir dos meus 14 anos: "Filhos crio os meus, os dos meus filhos eles que os criem".

MS - Mnininha d'Soncente disse...

É caso para se dizer que afinal os pais também precisam de "educação sexual".
Engraçado que a minha mãe dizia a mesma coisa...e passados estes anos todos esteve a correr atrás de mim até bem pouco tempo para que lhe desse netos!! Mãe só muda de endereço mesmo. ahahahah