quarta-feira, 27 de junho de 2007

A espera

Puro silêncio lhe vai n’alma;
Uma quietude que assusta e anuncia uma muda tormenta já familiar;
O redemoinho que vem se formando e tomando como seu alguns espaços também já é um velho conhecido…sentada ela espera…
talvez passe…
talvez não…
MS

Sem comentários: