quinta-feira, 14 de junho de 2007

Abriu-se...


A sua caixa da Pandora agora escancarada
deixava soltos seus sentimentos mais ocultos
outrora esquecidos e aprisionados;
Seu corpo apossado pela razão da loucura
segue trôpego por caminhos há tanto abandonados
Tem os pés a sangrar por arrastarem-se pelo céu,
e braços arranhados pelos sonhos,
mas segue a menina...
Cega de tanto ouvir;
Surda de tanto ver;
e muda de tanto sentir...
E sente...
que não se poderá esconder…
Não como antes…
-MS -

Sem comentários: