quinta-feira, 24 de maio de 2007

A proporcionalidade da covardia...

Já repararam numa criança a brincar?
Elas não têm limites nem na imaginação nem nos perigos e riscos que correm. Por mais que, nós adultos, as avisemos dos perigos, a tendência delas é experimentarem. Elas caem, machucam, choram, limpam as lágrimas e prosseguem nas brincadeiras; e mais!!! não importam de repetir a brincadeira que lhes deu tanto prazer mas que resultou, no final, uma dor insuportável. Nós não! À medida que crescemos nossa covardia vai nos acompanhando. À medida que vamos adquirindo conhecimento/experiências aumentam nossos medos. As nossas escolhas começam a ficar limitadas pelos “e se…” “mas”. Vivemos num futuro que ainda não nos pertence e com algumas “certezas pessimistas” que nos impedem de ver e viver o presente... e quando essas "certezas" acontecem parece que ficamos contentes por termos acertado. Somos tão carrascos de nós mesmos que nos detemos nos momentos infelizes, recriminando-nos da escolha que nos conduziu àquele momento doloroso, que nos esquecemos dos momentos maravilhosos que vivemos.
Sejamos felizes, como as crianças, arrisquemos, e se cairmos e sofrermos...levantemos, enxuguemos as lágrimas, limpemos os vestígios da queda e sigamos em frente…repetindo as “brincadeira” que nos fizeram felizes.
Não deixemos que a covardia cresça com o avançar da idade e não me venham dizer que não é covardia mas sim sensatez… isso é pano para outra camisa!

5 comentários:

Tó disse...

Concordo 100% com tudo o disseste.
Pena é não ser tão facil livramo-nos da covardia... :-)

Paulo Veiga disse...

100% de razão, mas o dificil é aplicar-lhe a vida real. Mas vamos tentar meu amor.

MS disse...

O importante é tentar...e tentar sempre com vontade e não fingir que se tenta... penso que assim podemos ser um pouco mais felizes

vl disse...

concordo 200% com o que escreveste. Vou tentar aprender a ser menos covarde com a minha filhota que hoje ganhou o seu primeiro "galo na testa", mas nem por isso deixou de subir e descer do´meu improvisado sofá, de onde caiu:)

Adelaide disse...

Acho k e difícil não se concordar :) ... se reconhecemos k isso é covardia, então tá na hora de começarmos a dar os primeiros passos e seguir em frente...nós temos de acreditar que conseguimos sempre dar a volta por cima ;)... todos temos o direito de SER FELIZES :)