sexta-feira, 13 de abril de 2007

Tou parvificada!

Se o Djinho ficou careca, a minh’ alma ficou parva e fiquei desdentada pois caíram-me os dentes! Afinal fui buscar meu queixo ao chão…
Foi elaborado um artigo sobre o projecto de cooperação CV e EU, em reação ao artigo, a Sra. ou melhor a Phd. Fátima Monteiro deu mostras de como se devem colocar os pontos nos íis!
Afirmações como : O título da notícia contém uma imprecisão que julgo importante dissipar: não sou uma investigadora cabo-verdeana. Sou uma investigadora portuguesa de ascendência cabo-verdeana. Tenho nacionalidade portuguesa por direito de sangue e não por direito de solo. Julgo também importante sublinhar aqui que, sendo portuguesa, sou, por inerência, europeia e não africana. O facto de ser natural de um país/ex-colónia portuguesa situado na costa africana, em nada me obriga a identificar-me com África ou como africana! .
BEM!!! Com esta não esperavam pois não? E essa?
"A minha formação superior avançada (o que quer dizer pós-licenciatura), foi efectuada numa das melhores e mais prestigiadas Universidades que o modelo de Ensino Superior anglo-saxónico alguma vez produziu ou virá a produzir, a Universidade de Harvard. O meu grau académico, normalmente indicado através da abreviatura Ph.D., corresponde por extenso a “Philosophy Doctor” (Doutor em Filosofia)." Alguma dúvida?
Quem possui um grau de Doutor atribuído por Harvard, tem uma nacionalidade europeia e goza ainda de uma autorização de residência permanente nos Estados Unidos, não precisa de ir a Cabo Verde promover-se. A menos que cometa um acto hediondo, tem a sua promoção vitaliciamente garantida em qualquer parte do mundo, incluindo Cabo Verde!!” Que nada...nós aqui a receberemos de braços abertos mesmo que cometa outro acto hediondo! Não é assim pessoal?

"Por isso aproveito para aqui deixar alguns conselhos ao Senhor Ministro: Mande calar a tropa, meta os insubordinados do seu Ministério na linha, coloque o dossier “parceria especial” e a Direcção-Geral de Política Externa nas mãos de diplomatas idóneos e equilibrados (o facto de a maior parte deles possuir tez clara, ter “cabelo fino” e falar francês não me parece ser garantia de sucesso nas negociaçõs com os europeus), e abra as portas aos cérebros de ascendência caboverdiana residentes fora de Cabo Verde. Caso contrário, a “parceria especial” ficará seriamente comprometida." Essas cabeças iluminadas incluem a PhD FM?

São afirmações que deixam qualquer um parvificado! Ou não? (estarei muito sensível?)
Contenha-te MS, não sejas má MS, ou será melhor Drª MS (fica giro não fica?)!!! Mas correm-me pelos cantos da boca um pouco de veneno, e uma revolta que, talvez no fundo, não têm razão de ser! ELA TEM TODO O DIREITO de dizer o que pensa! Certo? ERRADO! Uma pessoa com uma formação (que ela insiste em fazer de bandeira) e a dar importâncias a coisas como: nacionalidade, títulos, e ainda por cima chamar de analfabetos funcionais aos quadros de instituições do MEU PAÍS!!? A FM tem tomates…ou então falta de bom senso.
RAIOS!! Apetece-me fazer uma redacção sobre ela, tipo:” a Vaca, A vaca dá leite, e eu gosto muito da vaca” mas acho que seria desperdício. (Não pensem que estou chamando-a de vaca, pois quem me conhece sabe o quanto gosto destes animais).
Só uma coisinha, achei muito giro os seus traços europeus, ficam-lhe muito bem.(podem ver foto da PhD no site do Djinho).

Só uma chamada de atenção: Não critico a adopção da nacionalidade da gaja, cada um que se assume africano, europeu, caucasiano, o que quiser, mas o que a PhD, quanto a mim, mostrou foi um grande complexo (isto sendo muiiiito boazinha com ela) e falta de modéstia...(aliás ela deve desconhecer este termo)

Ao amigo que me indicou o artigo:obrigada, mais uma vez prendeste meus pés à terra e mostraste-me como ser menos modesta!
À jornalista Gisele Coelho, mais uma vez, cometeu um erro imperdoável, não é Drª, é PhD- que é muiiiiiiiiiiiito diferente!!(Ainda corre o risco de te-la à perna a conta disto!

3 comentários:

VL disse...

já conhecia a PH.D e a sua completa falta de modéstia. Mas não a sabia tão pobre e burra. Podre de espirito e burra (de burra mesmo). pk só alguém muito burro para deixar transparecer tamanho complexo. E eu que sempre achei que os PH.D's eram pessoas inteligentes e sensatas.
Mas como diz o outro, cada um carrega o que lhe é destinado. A essa PH.d cabe-lhe carregar o peso de ser "europeia" com ascendencia cabo-verdiana (moreninha ela, num é), por isso essa necessidade que ela tem de sempre deixar claro que não é CABO-VERDIANA. Pobre coitada!!

Anónimo disse...

tb eu já a conhecia de fama (ou deveria dizer de má fama?). Pobre Sra... que vá à M####
p.s: será que se ela lê-se isto iria fazer alguma correcção ( de português, claro!!)?

ups, sou eu ... irina :)

Irina disse...

tb eu já a conhecia de fama (ou deveria dizer de má fama?). Pobre Sra... que vá à M####
p.s: será que se ela lê-se isto iria fazer alguma correcção ( de português, claro!!)?