segunda-feira, 30 de abril de 2007

sinto-me assim...


Estou naqueles dias que me sinto presa à terra por raízes tão densas que não vislumbro o fim, só um emaranhado de pensamentos e caminhos sem fim.
A minha mente presa aos ramos já não voa, tenta desesperadamente soltar-se mas as amarras parecem-me poderosas.
Há uma ansiedade que me sufoca e uma angústia que me afoga.
Não tenho lágrimas nem sangue para derramar e uma corrente formar sob minhas raízes para um novo rumo trilhar. Só tenho este lago de dúvidas por onde pendem os ramos onde minha mente já debate frágil e cansada.

1 comentário:

Irina disse...

moss... quem lê o isto e mais alguns pensamentos teus do blog pensa que lidas bem com as tuas fragilidades... hihihihihihihih...
Na verdade,eu que te conheço relativamente bem (né?, acho que te retratas de uma forma fiel... o que não é tão fácil no (teu) dia à dia. Continuo, certamente seráumbelo exercício ;)