domingo, 25 de fevereiro de 2007

As "Brigit Jones" - solteiras aos 30!

Ao ver o filme pela … terceira vez (?) despertou-me a atenção o massacre que as mulheres aos trinta anos sofrem nos jantares ou encontros sociais, onde predominam os casais, pessoas mais velhas, desculpem, mais experientes… Parece que são comedidas de uma vontade sádica, e mais, que andam todos a combinarem a mesma pergunta. “ e então? Para quando o casamento?”. Pior que isso é quando nos encontros com as amigas/colegas, elas claro, já com filhos a tiracolo, e como se não lhes restassem mais nenhuma pergunta, disparam ”e tu? Para quando um filho? Olha que o relógio não pára!”Raios!!!
Será assim tão ruim ser solteira e sem filhos aos 30?!?! Eu não acho e partilho da opinião de um amigo meu que disse que as mulheres inteligentes e bem sucedidas não arranjam um homem porque os machos criolos são complexados!!! Ainda não estão preparados para lidarem com a nossa independência e inteligência (e alguns casos, o sucesso) e por isso continuam a preferir aquelas que eles possam dominar. A isso acrescento, numa relação há que, principalmente, haver respeito mútuo, e isto meus amigos está tão raro como as baleias nos oceanos. Quanto aos filhos? Isso, são outros 1.500. Assunto talvez para um próximo post.

4 comentários:

Adelaide disse...

Hi ppl:).. claro k eu não podia deixar de acrescentar o meu comment... Pois é kerida, só kem vive isso na pele todos os dias sabe o k significa mesmo ouvir o pessoal a kerer "abrir-nos" a cabeça e meter lá dentro o que no entender deles é o padrão de "FELICIDADE"... :) kem chega aos 30 (ou que está prestes a chegar) e que ainda não se encaixa no grupo é "massacrado" e até "criticado" na maioria das vezes de uma forma negativa... por não "corresponder" à "expectativas" da grande maioria. Acho que é muito bom termos em linha de conta que cada coisa acontece no seu devido tempo e que a FELICIDADE também reside nas pequenas grandes coisas a que, aliás, muitas vezes não damos importância.... Aprendamos a respeitar as ideias, opiniões e escolhas de cada um... a respeitarmos a nós próprios e principalmente ao nosso próximo... e veremos que ser feliz reside aí: aceitarmos a nós próprios, aos outros, e às diferenças.... Afinal se fossemos todos iguais,como saberiamos identificar as diferenças?.....
Beijos iluminados para todos :)

****LAY***

MS disse...

Falou e disse...subscrevo completamente.

Irina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Irina disse...

é vaconce, mais uma vez tens td a razão, o pessoal torra o saco mesmo. Ainda ñ deram conta que nós somos a nova geração ... a das independentes hihihih